Pousada Barroco na Bahia
Home
Mapa de Localização
Histórico
Memorial D. Lucas
Órgão
Coro
Centro Cultural
Sala Dom Lucas Moreira Neves
Pousada
Berlin Café
Programação
Óperas
Discografia
Imprensa
Colabore
Livro de Visitas
Links
Descubra o Barroco na Bahia
Fale Conosco

A Flauta Mágica > Biografias

Rainer Büsching, Sarastro (baixo)
Cantor nasceu em Halle, Alemanha. Sua formação como cantor de ópera e de concertos deu-se na Escola Superior de Música Felix Mendelssohn-Bartholdy, em Leipzig. Ao longo de sua carreira, apresentou-se em várias casas de ópera na Alemanha, sendo que de 1973 até 1985 cantou como baixo no "Landestheater" em Dessau. Há 14 anos é membro da Ópera "Semper" de Dresden. Em 1988 foi nomeado "Kammersänger". Além de interpretar diversos personagens em óperas, ele tem participado de inúmeros oratórios, cantatas e "Liederabende", e recebeu vários convites para cantar na Itália, na Rússia, na Áustria e na Bélgica. Em 1997 interpretou o papel do carcereiro "Rocco" na ópera Fidelio (de Ludwig van Beethoven), aqui em Salvador, tendo sido esta sua primeira aparição para o público brasileiro.

Gerald Hupach, Tamino (Tenor)
Nascido em Leinefelde/Thüringen, formou-se na Escola Superior de Música "Franz Liszt" em Weimar com o Prof. Hans Kremers. Gerald Hupach é membro da Ópera "Semper" de Dresden, desde 1993. Dentre suas interpretações naquele teatro, podemos destacar os personagens de "Jaquino" (Fidelio, de Beethoven), "Basilio" (Lê Nozze di Figaro, de Mozart) e "Belmonte" (O Rapto do Serralho, de Mozart). Além do citado, o cantor participou como solista em vários concertos e oratórios, como no "Oratório de Natal", "Messias" de (Georg Friedrich Hãndel) em cantatas e na "Missa em si menor" (de Johann S. Bach), e no "Te Deum" (de Anton Bruckner), entre outros. No ano passado, teve pela primeira vez uma participação significativa aqui no Brasil, quando integrou o grupo de solistas que interpretou a Ópera "Fidelio" (de Ludwig van Beethoven), atuando no papel de "Jaquino", o porteiro da prisão.

Martin Krasnenko, Primeiro Sacerdote e Segundo Cavaleiro (Barítono)
Alemão, nascido em Esslingen/Neckar, estudou canto com o Prof. Dieter Jacob, na Escola Superior de Música de Colónia, bem como canto de ópera com o Prof. Fritz Lehan. De 1980 a 1988 foi aluno da "Liedklasse" do Prof. Wilhelm Hecker, Colônia. Martin Krasnenko venceu o Concurso Internacional de Canto "Toti dal Monte" em Treviso/Itália, tendo sido agraciado com o prêmio especial. Durante os últimos dez anos de sua carreira recebeu inúmeros convites, entre outros podendo-se destacar o do "Festspielhaus Bregenz" do Teatro de Bremen e das "Österreichischen Donau-Festwochen", do Teatro Municipal de Frankfurt, do Teatro Estadual de Saarbrücken e da Ópera Municipal de Bonn. Em 1997, Martin Krasnenko apresentou-se pela primeira vez no Brasil, em Salvador, onde interpretou o personagem do diretor da prisão "Don Pizarro", na ópera Fidelio, de Ludwig van Beethoven. Assim como os outros solistas, também Martin Krasnenko participou de inúmeras gravações, tendo atuado em diversos programas de rádio e televisão na Europa.

Graham Sanders, Segundo Sacerdote e Primeiro Cavalheiro (Tenor)
Na Inglaterra, onde nasceu, o cantor iniciou sua carreira musical como contratenor no London College of Music. Mudou-se para os Estados Unidos, onde continuou seus estudos na Universidade de Cincinnati, tendo também estudado com o famoso tenor dramático James King. Em 1990 a Society Lauritz Melchior reconheceu seu grande talento, agraciando-o com uma bolsa de estudos em Munique. Sua estréia na Alemanha foi na Ópera Municipal de Bonn, interpretando "Rodrigo" (Otello de Verdi) e "Florestan" (Fidelio de Beethoven). Mais tarde assinou contrato com a Ópera Estadual de Bremen, onde se destacou principalmente por ter interpretado o famoso personagem "Stolzing" (Mestres Cantores, de Wagner). Em agosto de 1997 apresentou-se pela primeira vez no Brasil, quando veio interpretar "Florestan" na ópera Fidelio de Beethoven, encenada em Salvador. Atualmente está contratado pela casa de Ópera de Dresden, onde tem interpretado grandes personagens, tendo, ao lado destas atuações, participado de inúmeras gravações de discos.

Roxana Incontrera, Rainha da Noite (Soprano)
Nascida na Romênia, na cidade de Plojesti, iniciou muito cedo sua educação musical. Prosseguiu seus estudos de canto em Bucareste, com Magda Ianculescu. Desde 1985 atua na Alemanha, tendo-se apresentado em numerosos teatros, dos quais podemos destacar o Teatro Municipal de Rudolstadt, o Teatro Municipal de Halle, as Óperas de Chemnitz e de Leipzig e o Teatro Estadual da Saxônia, entre outros. Na Ópera Semper, em Dresden, onde desde 1988 faz parte do corpo estável de cantores contratados, Roxana tem-se apresentado em muitas óperas, tendo feito sua estréia no papel de "Rainha da Noite" (A Flauta Mágica, de W. A. Mozart). Em 1990 ganhou a "Bolsa de Estudos Richard Wagner" na cidade de Bayreuth. Roxana interpretou famosos papéis como "Rosina" (Barbeiro de Sevilha, de Rossini), "Olympia" (Contos de Hoffmann, de Jacques Offenbach), "Konstanze" (O Rapto do Serralho, de W.A.Mozart), "Fiakermilli" (Arabella, de R.Strauss), "Oskar" (Baile de Máscaras, de Giuseppe Verdi), "Zerbinetta" (Ariadne em Naxos, de R.Strauss), "Violetta" (La Traviata, de G.Verdi). Roxana está no auge de sua brilhante carreira, sendo freqüentemente requisitada por famosas casas de ópera, com destaque para as de Barcelona e Paris, bem como a de Berlin, Düsseldorf e Bayreuth. Entre os famosos dirigentes e diretores com quais Roxana trabalhou, podemos citar Herz, Kupfer, Hollmann, Konwitschny, Marelli, Adam, Reuter, Prick, Fiore, Caetani, Metzmacher, Kout e Sinopoli. Roxana participará da nova encenação da ópera "Ariadne em Naxos", interpretando o papel de "Zerbinetta", sob a direção de Sir Colin Davis, que será encenada na cidade de Dresden em 1999.

Turid Karlsen, Pamina (Soprano)
A cantora nasceu em Oslo, Noruega. Após seus estudos de canto no Conservatório de Música em Maastricht, foi contratada pelo "Staatstheater" de Karlsruhe, onde permaneceu durante 6 anos. Em 1992 mudou-se para a Ópera de Bonn. Ao lado de grandes papéis de óperas italianas e francesas (tais como "Gilda", "Violeta", "Mimi", "Micaela" e "Antonia"), integrou ao seu repertório também personagens de óperas alemãs como "Eva", "Agathe", "Jenufa", "Leonore" e "Rosalinde". Experiente cantora das óperas de W. A. Mozart, nas quais interpretou principalmente personagens como "Pamina", "Donna Elvira" e "Condessa Almaviva", ela também interpretou em 96/97 a personagem "Vitellia" (Clemenza de Tito). Ao longo de sua carreira, Turid apresentou-se em renomadas casas de ópera alemãs, em Hannover, Kõln, Düsseldorf e Stuttgart, entre outras, bem como nas cidades de Bordeaux, Vichy, Avignon, Bruxelas, Amsterdã, Antuérpia, Bogotá, Lucerna e Oslo. A participação de Turid em inúmeros concertos ao vivo, apresentações em programas de televisão e rádio, bem como a publicação de um CD com "Lieder" de Leander Schlegel, fazem da cantora uma das mais requisitadas pelas casas de ópera na Europa. Ao lado dos mais recentes convites para interpretar personagens em óperas de Wagner e Strauss, Turid se apresentará em novembro de 1998 pela primeira vez nos Estados Unidos, interpretando "Donna Anna" (Don Giovanni, de Mozart) Ópera de Baltimore.

Barbara Hoene, Primeira Dama (Soprano)
Em Leipzig, na Escola Superior de Música, Barbara iniciou sua formação musical em violino e piano. Posteriormente estudou e formou-se também em canto. Seus primeiros contratos como solista foram realizados nos teatros estaduais de Dessau e Halle. Algum tempo depois ela começou a trabalhar para a famosa Ópera "Semper" em Dresden. Atuando lá até os dias de hoje, a cantora Barbara Hoene interpreta grandes personagens como "Elsa" (Lohengrin, de Wagner), "Pamina" (Flauta Mágica, de Mozart) e "Violeta" (La Traviata, de Verdi). Ela vem-se apresentando com sucesso nas mais famosas casas de Ópera em vários países, como Itália, Inglaterra, França, Holanda, Espanha, Japão e Rússia, e é considerada pela crítica uma das melhores sopranos meio-dramáticos. No ano passado interpretou o personagem "Leonore" (sob o disfarce de "Fidelio") integrando o elenco de solistas que apresentou a ópera Fidelio, de Ludwig van Beethoven, em Salvador. Barbara já participou de inúmeras gravações de discos, rádio e televisão.

Carolin Masur, Segunda Dama (Mezzo- Soprano)
Carolin Masur, filha do famoso maestro alemão Kurt Masur, nasceu em Berlin. Iniciou os seus estudos musicais com a participação em corais infantis. Desde cedo estudou piano. De 1985 a 1992 estudou canto na Escola Superior de Música "Hanns Eisler", em Berlin. Durante seus estudos estreou na ópera como "Hänsel" no Teatro Zwickau. Em 1991 atuou na Ópera Estadual de Berlin como "Rapaz Nobre" (Lohengrin de Richard Wagner), Ópera Estadual de Gdansk, Polônia, como "Flora" (La Traviata, de G. Verdi). Entre 1992 e 1997 podemos destacar numerosas atuações de sucesso em diversos teatros da Alemanha, interpretando papéis como "Frau Reich" (Mulheres Alegres de Windsor), "Cherubino" (As Bodas de Fígaro), "Lola" (Cavalaria Rusticana), "Irma" (Irma La Douce), "Roxie Hart" (Chicago). Desde 1997 atua no Teatro de Bautzen. Carolin Masur participou de vários concertos e "Liederabende", apresentando-se, entre outras, com a Orquestra Sinfônica da Rádio de Berlin, a Filarmônica Belga, de Bruxelas e a Filarmônica Polonesa de Katowice.

Regine Lehmann-Kõbler, Segunda Dama (Mezzo-Soprano)
Nascida na cidade de Leipzig, Alemanha, filha do organista Prof. Robert Köbler, desde cedo recebeu incentivos para seguir carreira de musicista. Estudou canto na Escola Superior de Música de Leipzig com a Prof. Christa Nowak. Participou de numerosos cursos e seminários com renomados professores. Diplomou-se no "VIII Concurso Nacional para Jovens Cantores de Ópera" realizado na República Democrática Alemã e participou do X Concurso Internacional Robert Schumann. Ativa participante em diversos concertos e oratórios em Leipzig e Berlin, bem como na Ópera de Halle. Desde 1987 está contratada como mezzo-soprano na Ópera de Chemnitz. Em 1993 apresentou-se em Lãs Palmas e em 1994 na cidade de Rimini sob a elogiada encenação de Sir Peter Ustinov. Canta música barroca em apresentações solo, bem como obras de antigos compositores italianos. dos mais recentes convites para interpretar personagens em óperas de Wagner e Strauss, Turid se apresentará em novembro de 1998 pela primeira vez nos Estados Unidos, interpretando "Donna Anna" (Don Giovanni, de Mozart) Ópera de Baltimore.

Michael Junge, Papageno (Barítono)
Nascido em 1959 em Beckendorf, Alemanha, iniciou seus estudos musicais com aulas de piano, aos sete anos de idade. Com treze anos, participava do Coral Especial do Teatro de Brandemburgo. Continuou seus estudos de canto, formando-se em regência coral. De 1979 a 1984 estudou na Escola Superior de Música Franz Liszt em Weimar, onde desde 1984 participa como Barítono no Teatro Nacional Alemão. Após numerosas participações em concursos de canto nacionais e internacionais, apresenta-se em óperas e concertos por toda a Alemanha, a Polônia e Liechtenstein. Michael Junge participa freqüentemente de "Liederabende", tendo gravado várias peças para rádio e televisão. Desde 1992 aperfeiçoa seus estudos de canto com a Professora Anna Reynols e com Jean Cox. Em 1994 ganhou uma Bolsa de Estudos da Associação Internacional Richard Wagner, e desde 1995 está engajado como barítono em Altenburg-Gera. Dentre as inúmeras óperas e concertos podemos destacar interpretações de "Conde Almaviva" (As Bodas de Figaro, de W. A. Mozart), "Marcello" (La Bohème, de Puccini), "Wolfram" (Tannhàuser, de R.Wagner), "Figaro" (II Barbiere di Siviglia, de Rossini), bem como participações na "Missa Solemnis" (Liszt), "Nona Sinfonia" (Beethoven), "O Messias" (Handel), entre muitos outros.

Ana Paula Sena, Papagena (Soprano)
Brasileira, nascida em Salvador, Ana Paula estudou comunicação e formou-se em jornalismo na UFB A. Após uma missa de Natal com a participação do Coro de Câmera Barroco na Bahia em 1993, entrevistou Hans Bönisch. Naquela ocasião ela se encantou com a música de tal forma que durante esta entrevista manifestou o desejo de participar do coral. Ana Paula iniciou seus estudos de canto sistematicamente em 1994 na Oficina de Canto da UFBA. Desde então participa do Coro de Câmera Barroco na Bahia. Chamando atenção por seu belo timbre de soprano, foi motivada por cantores alemães, tendo sido convidada pela cantora Anne Pellekoorne a aperfeiçoar seus estudos em Munique, Alemanha, onde permaneceu quase todo o ano de 1996, com a professora Anna Kôvács. Participou da gravação de um CD do Coro de Câmera Barroco na Bahia. Ana Paula estréia como solista na ópera "A Flauta Mágica" , no papel de Papagena.

Paulo Köbler, Monostatos (Tenor)
Nascido em Salvador, iniciou seus estudos básicos de música na Universidade Católica. Como um dos primeiros interessados que se entusiasmaram com o trabalho do projeto Barroco na Bahia, Paulo participou ativamente no Coro de Câmera desde 1993, e logo se destacou. Em 1995 fez um estágio por um período de seis meses no famoso Coro da Catedral de Mainz (Mainzer Domchor) na Alemanha, com o professor Mathias Breitschaft. Retornou ao Brasil para continuar suas atuações junto ao Coro de Câmera, apresentando-se em diversas ocasiões como solista. Em maio de 1997 participou de um curso de técnica de canto com o Prof. Josef Protschka. Em agosto de 1997 estreou como solista na ópera "Fidelio", de Beethoven, no papel do Primeiro Prisioneiro. Participou como solista da gravação dos dois CD's do Coro de Câmera Barroco na Bahia. Em janeiro de 1998 retornou à Alemanha, onde freqüenta a Escola Superior de Música de Aachen, estudando canto com o Prof. Josef Protschka. Durante este ano Paulo já se apresentou como solista convidado em diversos Concertos na Alemanha.

Três Meninos Cantores da Catedral de Mainz (Mainzer Domchor)
Christopher Ludwig, Johannes Juschzak e Benjamin Brandenbusch nasceram em 1984 e cantam no Coro de Meninos da Catedral de Mainz (Mainzer Domchor) desde 1993. O Coro de Meninos da Catedral de Mainz é um coro formado por meninos e rapazes, que foi fundado com sua estrutura atual pelo Bispo Wilhelm Emmanuel von Ketteler no ano de 1866, porém existem registros que comprovam sua existência já no ano de 1247. Composto por 150 vozes, o coro ensaia regularmente três vezes por semana e participa nas missas e eventos mais importantes do calendário da igreja. Através de numerosas apresentações, tanto na Alemanha como em Moscou e São Petersburgo, Rio de Janeiro e Salvador (l 993), Montreal, Roma, Jerusalém e Paris, entre outros locais, o coro tornou-se cada vez mais conhecido. Realizou também várias gravações em CD, apresentações em televisão e rádio, que lhe conferiram fama mundial. O vasto repertório do coro inclui desde cantos gregorianos até grandes peças e oratórios acompanhados de orquestras. O coro tem se apresentado sob a regência de maestros famosos como Ricardo Chailly, Leif Segerstam, Sylvain Cambreling, Dimitrij Kitajenko, Giuseppe Sinopoli e Marcello Viotti. Os três meninos, Christopher, Johannes e Benjamin, foram convidados várias vezes a participar em apresentações nos Teatros de Mainz, Wiesbaden, Darmstadt e Frankfurt. O Prof. Mathias Breitschaft (Domkapellmeister) é o regente atual do Coro de Meninos da Catedral de Mainz desde 1985.

Chean See Ooi (Regência musical)
Chean See Ooi, malasiana, a mais famosa regente de seu país e uma das poucas maestrinas de sucesso no mundo, iniciou sua carreira musical na Alemanha. Estudou piano na Musikhochschule em Essen, onde se formou em 1986. Em 1990, Chean See concluiu seu curso de regência na Escola Superior de Música de Colônia. Entre seus professores de regência podemos destacar H. Beissel, Volker Wangenheim e Dennis Russel Davies. Já em 1991, Chean foi classificada em primeiro lugar no concurso internacional de regência em Hamm e Halle. Além de atuar nas maiores cidades da Alemanha, ela apresentou-se nos Estados Unidos, na Austrália e em outros países da Europa. Em temporada recente, ela estreou com orquestras de renome como por exemplo a Orquestra Filarmônica de Bremen e Halle e a "Südwestdeutsches Kammerorchester".

Jürgen Muck (Direção artística)
Jürgen Muck nasceu em Plauen/Vogtland. Formou-se como ator de teatro na Escola Superior de Teatro em Leipzig. Atuou no Teatro de Leipzig, depois em Dresden, na Ópera Municipal, onde estreou como ator principal, cantando e dançando em "Mein Freund Bunburg". Interpretou também personagens principais nas peças: "Can-Can", "Kiss me Kate", "Sweet Clarity" e "Cabaret" entre outras. Ganhou vários prémios em concursos de peças musicais, bem como em apresentações em televisão. Desde 1978 assumiu a função de "Abendspielleiter" na Ópera Semper em Dresden. Responsável pela assistência na direção artística com diretores famosos como Prof. Joachim Herz e Harry Kupfer. Responsável pela direção de peças apresentadas em Madri, Amsterdã, Tóquio, Edinburg, Veneza, Viena, Lousanne, Moscou, Petersburg, SalzburgeHelsinki. Jürgen Muck também é diretor do "Kleines Haus" e da "Kleine Szene", ambos locais de apresentação de peças de teatro pertencentes à Ópera Semper em Dresden. Dirigiu numerosas peças menores, como por exemplo "Weisses Rõssl", "Wiener Blut", "Pariser Parfüm", etc. Obteve grande sucesso com a "Riemannoper" de Johnson, além de atuar em alguns papéis falados em óperas, como no personagem do "Mestre da Corte" (Ariadne em Naxos, de R. Strauss).

Henning Manthe (Cenário)
Henning Manthe nasceu em Zweibrücken/ Alemanha. Apesar da forte inclinação para a pintura e intensa promoção por parte de professores de arte, H. Manthe foi inicialmente Oficial da Marinha, passando mais tarde a estudar e se formar em Ciências Econômicas. A sua carreira em uma empresa multinacional transferiu-o para a Espanha, a Colômbia e o Brasil, onde vive desde 1991. Independentemente de suas atividades profissionais, teve a partir de 1978 suas pinturas expostas em renomadas galerias nas cidades de Barcelona/Espanha, Bogotá/Colômbia, Wiesbaden/ Alemanha e Bruxelas/Bélgica, que encontraram o seu lugar em diversas coleções particulares. Em Bogotá produziu também cenários para algumas peças teatrais no Teatro Cólon e no Teatro Nacional. A cenografia para a "Flauta Mágica" é o seu primeiro trabalho para uma ópera.

A Orquestra Acadêmica de Bonn
Foi fundada em 1985 por membros e amigos da Universidade de Bonn. A orquestra é composta por 90 músicos, realizando apresentações com regularidade nas salas de concertos da cidade e da própria Universidade, onde conquistou um público entusiasmado com o seu estilo vivo de fazer música. O repertório abrange obras dos períodos barroco, clássico, romântico e de compositores contemporâneos. A Orquestra Acadêmica de Bonn já trabalhou com alguns regentes famosos como o Prof. Emil Platen, Michael Dehnhoff, Timm Tzschaschel e Dennis Russel Davies. Atualmente a orquestra tem como regente a maestrina malasiana Chean See Ooi. Além das atividades musicais em Bonn, a Orquestra Acadêmica de Bonn apresenta-se freqüentemente em várias cidades da Alemanha e também em outros países. Nos últimos meses realizou apresentações na Suíça, na República Tcheca, na Itália, na Rússia e na Malásia, sendo que em agosto de 1997 fez sua estreia no Brasil, em Salvador, onde apresentou a ópera "Fidelio" (Ludwig van Beethoven).

 

Início
Voltar
Resumo
Ficha Técnica
Biografias
Fotos

Barroco na Bahia
Rua Jogo do Carneiro, 34 - Saúde
Telefone: +55 71 3241-6031 Fax: +55 71 3241-6805
E-mail: barroco@barroconabahia.com.br

Desenvolvido por: Valter de Carvalho