Pousada Barroco na Bahia
Home
Mapa de Localização
Histórico
Memorial D. Lucas
Órgão
Coro
Centro Cultural
Sala Dom Lucas Moreira Neves
Pousada
Berlin Café
Programação
Óperas
Discografia
Imprensa
Colabore
Livro de Visitas
Links
Descubra o Barroco na Bahia
Fale Conosco

A Flauta Mágica > Biografias

Frank Wörner, Sarastro (baixo)
Nasceu em Esslingen e se formou na Escola Superior de Música de Stuttgart e na "Schola Cantorum", em Basel, Suíça, com o Prof. Kurt Widmer. Após sua formação, continuou os estudos operísticos na "Opernschule Stuttgart", com a Profa. Luisa Bosabalian e o Prof. Cari Davis. Vários cursos de mestre, "Meisterkurse", com Jakob Stampli e Hermann Prey completaram os estudos. Ele foi contratado pêlos teatros de Heidelberg, Trento e Bologna, Itália, Braunschweig e no teatro BFM de Genf, Suíça. Atuou também em vários festivais como cantor de concerto e de "Liedsänger", como no "Festival Ars Música", "Herbstliche Musiktage in Bad Urbach", "Orchestre e Del Veneto", Itália, e "Westfälisches Musikfest" in Münster. Interpreta, também, música contemporânea em várias produções de Rádio e gravações de CD. Com o personagem "Gurnemanz", em "Parsifal", ele estreou no Brasil.

Fabiano Cordeiro, Tamino (tenor)
Nasceu no Rio de Janeiro e sua primeira formação foi em informática e comunicação. O interesse pela música levou-o a Alemanha para estudar canto com a Profa. Jagna Sokorska Kwika, em Essen, que o preparou para a prova inicial na escola de música. Ingressou na Escola de Música e Teatro "Felix Mendelssohn Bartholdy", em Leipzig, na classe do Prof. Hans Joachim Beyer. Em 2002, participou no "Mozarteum", em Salzburg, de um "Masterclass" com o Maestro Elio Battaglia. Estreou na ópera interpretando "Alfredo" em "La Traviata" de Verdi, em Leipzig. Após, fez o papel de "Lenski" em "Eugen Onegin" de Tschaikowski e "Der Vetter" em "Der Vetter aus Dingsda" de Künneke. O cantor carioca estréia no Brasil interpretando "Tamino", na "Flauta Mágica" de Mozart.

Yoo-Ra Lee, Rainha da Noite (soprano)
Nasceu em Seul, Coréia do Sul, e já com 4 anos de idade começou seus estudos em música com aulas de piano. Com 9 anos, ganhou o seu primeiro prêmio no "Concurso Nacional de Piano para Jovens Pianistas", em Seul. Também criança, logo aprendeu violino e ganhou vários prêmios com esse instrumento. Em 1996, mudou-se para Alemanha e ingressou na Escola Superior de Música e Teatro, em Leipzig, e se formou em 1999 com o Prof. Roland Baldini em violino. Paralelamente, começou a estudar canto, nessa mesma Escola Superior, com a Profa. Regina Werner. Estreou em 2001, na ópera "La Clemenza di Tito" de W. A. Mozart, com a personagem "Servilia". Em 2002, cantou na ópera de Leipzig o "Primeiro Menino" na "Flauta Mágica" de Mozart e "Gretei" em "Hänsel und Gretel" de Humperdinck.

Ulrike Fulde, Pamina (soprano)
Formou-se na Escola de Música e Teatro "Felix Mendelssohn Bartholdy", em Leipzig, com o Prof. Hans-Joachim Beyer. A jovem cantora cantou no Festival "Georg Friedrich Händel", em Halle, e no Festival "Felix Mendelssohn Bartholdy, em Koblenz. Na "Ópera Estadual de Leipzig", ela estreou no papel de "Fiordiligi" em "Cosi fan tutte" de Mozart. Ela canta em oratórios, "Lied" e faz participações em operetas, especialmente na famosa sala de concerto "Gewandhaus", em Leipzig.

Diana Krauss, Primeira Dama (soprano)
Sua primeira formação musical foi na Escola de Música "J. J. Quantz" em Merseburg e entrou, em 1999, na Escola de Música e Teatro "Felix Mendelssohn Bartholdy", com a Profa. Christina Wartenberg. Desde 2001, está estudando na mesma instituição, com a Profa. Jitka Kovarikovà. Ela já ganhou vários prêmios nacionais, entre outros o concurso "Jugend musiziert", na Alemanha. Cantou também como solista em várias cantatas de Bach, Telemann e Réquiem de Mozart. Cantando a "Primeira Dama" na "Flauta Mágica", em Salvador, Diana Krauss estará estreando em ópera.

Marialda Costa, Segunda Dama (soprano)
Natural de Salvador-BA, diplomou-se em Canto na Escola de Música da UFBA sob a orientação do Prof. Moacyr Costa Filho. Obteve o prêmio de 2° lugar no "l Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão", realizado em Belém - PA. É sócia da Associação Brasileira de Canto - ABC. Como recitalista e solista, participou, junto à Orquestra Sinfônica e Banda Sinfônica da UFBa, da execução das seguintes obras: "Réquiem em Ré menor" de José Maurício Nunes Garcia, "Vesperae Solennes de Convessore" de W. A. Mozart, "A Floresta do Amazonas" de H. Vílla-Lobos, "Réquiem" de Frygies Hidas, Concerto do Centenário de Morte de Giuseppe Verdi, "As Lamentações de Jeremias" de Pablo Sotuyo, "Stabat Mater" de G. B. Pergolesi, XIV Bienal de Música Brasileira Contemporânea etc, sob a regência dos Maestros Erick M. Vasconcelos, Piero Bastianelli, Horst Schwebel, Angelo Rafael Fonseca, José Maurício Brandão e Leandro Gazineo. É membro fundadora da Companhia de Canto de Bahia -CCB, onde atua como solista e coralista -, participou das gravações dos Cd "Cartas Musicaes" de Manuel Tranquilino Bastos, "Música Eletroacústica na Bahia" de Wellington Gomes, "Romances Tradicionais na Galícia e na Bahia" de Maria dei Rosário Albán. Atualmente, leciona Canto na Graduação e Curso Básico da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia.

Regine Köbler, Terceira Dama (mezzo-soprano)
Nascida na cidade de Leipzig, Alemanha, filha do organista Prof. Robert Kõbler, desde cedo recebeu incentivos para seguir carreira de musicista. Estudou canto na Escola Superior de Música de Leipzig, com a Profa. Christa Nowak. Participou de numerosos cursos e seminários com renomados professores. Diplomou-se no "VIII Concurso Nacional para Jovens Cantores de Ópera" realizado na República Democrática Alemã e participou do X. Concurso Internacional Robert Schuhmann. Ativa participante em diversos concertos e oratórios em Leipzig e Berlin, bem como na casa de ópera de Halle, onde interpretou a famosa ópera de Strauss "O Cavaleiro da Rosa", assim como "Os Mestres cantores de Nürnberg", Linz (Áustria), Heidelberg entre outras. Desde 1987 é contratada como mezzo-soprano na Ópera de Chemnitz. Em 1993 apresentou-se em Lãs Palmas e em 1994 na cidade de Rimini sob a elogiada encenação de Sir Peter Ustinov. Ela canta música barroca em apresentações solo, bem como obras de antigos compositores italianos. Regine Köbler estreou no Brasil em 1998 na montagem da "Flauta Mágica" de W. A. Mozart, no papel da Terceira Dama. Em 1999, interpretou o papel de "Hänsel", na produção de "Hänsel und Gretel", em Salvador. Em 2002, o papel de "Kundry", em "Parsifal", também em Salvador.

Paulo Köbler, Monóstatos (tenor)
Nascido em Salvador, iniciou seus estudos básicos de música na Universidade Católica. Como um dos primeiros interessados que se entusiasmaram com o trabalho do projeto Barroco na Bahia, Paulo Köbler participou ativamente no Coro de Câmera desde 1993, e logo se destacou. Em 1995, fez um estágio no "Mainzer Domchor", na Alemanha, com o professor Mathias Breitschaft. Participou de um curso de técnica de canto com o famoso cantor e Prof. Josef Protschka entre outros. Em agosto de 1997 estreou como solista na ópera "Fidelio" de Beethoven no personagem do Primeiro Prisioneiro. Em 1999, fez o papel da "Bruxa" em "Hänsel und Gretel" e em 2002, "Titurel" e "Primeiro Cavaleiro" em "Parsifal". Estudou canto na Escola Superior de Música Felix Mendelssohn Bartholdy, em Leipzig. Cantou diversos concertos na Alemanha, dentre eles nas cidades de Jüllich, Diusburg e Leipzig, e em especial em Perugia, na Itália. Ele estudou em 2002 com a Profa. Cristiane Less-Brandau, em Rostock, e atualmente está se aperfeiçoando com o tenor Piotr Bednarski.

Michael Junge, Papageno (barítono)
Nascido em 1959 em Beckendorf, Alemanha, iniciou seus estudos musicais com aulas de piano aos sete anos de idade. Com treze anos, participava do Coral Especial do Teatro de Brandenburgo. Continuou seus estudos de canto, formando-se em regência coral. De 1979 a 1984 estudou na Escola Superior de Música Franz Liszt em Weimar, onde desde 1984 participa como barítono no Teatro Nacional Alemão. Após numerosas participações em concursos de canto nacionais e internacionais, apresenta-se em óperas e concertos por toda Alemanha, Polônia e Liechtenstein. Ele participa freqüentemente de "Liederabende", tendo gravado várias peças para rádio e televisão. Desde 1992 aperfeiçoa seus estudos de canto com a Professora Anna Reynols e o Jean Cox. Em 1994 ganhou uma bolsa de estudos da Associação Internacional Richard-Wagner. Dentre as inúmeras óperas e concertos podemos destacar interpretações de "Conte Almaviva" ("As Bodas de Figaro" de Mozart), "Marcello" ("La Boheme" de Puccini), "Wolfram" ("Tannhäuser" de Wagner), "Telramund" em "Lohengrin"de Wagner, "Figaro"("O Barbeiro de Sevilha" de Rossini), bem como participações na "Missa Solemnis" (Liszt), "Nona Sinfonia" (Beethoven), "O Messias" (Mozart), "As Paixões", "Magnificat" e "Missa em si bemol" (Bach), "Um baile de mascara", "Don Cario", "La Traviata", "Rigoletto" e "Nabucco" (Verdi) e muitos outros. Michael Junge interpretou em 1998, em nossa montagem da "Flauta Mágica", no TCA, o papel de Papageno e em 2002, "Amfortas", na ópera "Parsifal".

Ana Paula Sena, Papagena (soprano)
Formou-se em Jornalismo na Ufba, e passou a integrar o Coro Barroco na Bahia em 1994. Chamando atenção por seu belo timbre de soprano, foi motivada por cantores alemães, tendo sido convidada pela cantora Anne Pellekoorne a aperfeiçoar seus estudos em Munique, Alemanha, onde permaneceu de 1996 a 1997 com a professora Anna Kòvács. De volta à Bahia, passou a apresentar-se regularmente como solista nos concertos do Barroco na Bahia, aperfeiçoando-se através de cursos e “master classes” com o professor Martin Krasnenko na Associação Barroco na Bahia, na Universidade Federal da Bahia e na Universidade Católica de Pernambuco. Estreou como solista em 1998 na primeira montagem da ópera "A Flauta Mágica" como Papagena, personagem que novamente interpreta. Em 1999 atuou como "Taumännchen" em "Hänsel und Gretel" e em 2002 como "Escudeiro", em "Parsifal". Foi ainda solista do "Oratório de Natal" (J. S. Bach) em 2000. Atualmente, Ana Paula é estudante de Música da Universidade Federal da Bahia, e coordena atividades de Educação Musical em projetos comunitários no bairro de Cajazeiras V e Alto do Peru.

Lilia Falcão, Primeiro Menino (soprano)
Nasceu em Maceió - AL. Concluiu os Cursos de Licenciatura em Música (1990) e de Canto (2000) pela Universidade Federal da Bahia e Serviço Social (1982) pela Universidade Federal de Alagoas. Participou de diversos cursos, seminários, congressos, "master classes" com professores renomados como Eliane Sampaio, Martin Krasnenko, Patrizia Morandini, António Salgado e outros. No Curso de Canto foi aluna dos Profs. Maria Manso, Noeme Miranda e Moacyr Costa Filho. Atualmente, é professora de Canto do Instituto de Educação Musical da Bahia e membro do Madrigal da UFBa, onde atua também como solista.

Aishá Roriz, Segundo Menino (soprano)
Iniciou seus estudos em música com seu pai Marcos Roriz, violoncelista. Em 1997, ingressou no Corai Juvenil da UFBa, onde participou durante 4 anos, sob a direção da Profa. Leila Dias. Em 2001, passou a ser integrante do Coro Barroco na Bahia e, no mesmo ano, atuou na ópera "O Franco Atirador" de Weber como "Bräutjungfer". Como corista desse mesmo Coro, participou da montagem de "Parsifal" de Wagner, do "Réquiem" de Mozart, "Oratório de Natal" de Bach dentre outros. Atualmente, ela é estudante de Marketing e é aluna de canto da Profa. Ana Paula Barreiro.

Kathleen O'Connor, Terceiro Menino (contralto)
A americana está concluindo seu doutorado em Antropologia pela "Harvard Univesity", em Cambridge, Estados Unidos. Ela veio para a Bahia como bolsista "Fulbright". Formou-se em Composição em Música na UCLA, em Los Angeles. Ela viajou como cantora lírica profissional, fazendo tournèes na Europa, Japão, Coréia e Hong-Kong e na América Latina, incluindo um concerto no Teatro Castro Alves. Após sua graduação, Kathleen fez mestrado em "Perfomance do Jazz" na "University of Southern Califórnia".

Tom Mehnert, Primeiro Sacerdote (baixo)
Nasceu em Chemnitz e recebeu a sua primeira formação musical com o Prof. Karin Mitscherling. Com 10 anos, ingressou no famoso coral de meninos "Dresdner Kreuzchor"; mais tarde, já com a voz masculina, participou do "Windsbacher Knabenchor". Tom Mehnert formou-se no "Richard-Strauss-Konservatorium" de Munique com a Profa. Ursula Hirschberger e participou de cursos de "Münchner Singschule" com Prof. Metternich e o Prof. Haeflinger. O jovem cantor estreou no Teatro Estadual de Cottbus com o personagem "Colune" de "La Boheme", em 1995. De 1997 a 2002, ele cantou os personagens de "Daland", em "Fliegender Holláänder" de Wagner, "Osmin", no "Rapto do Serralho" de Mozart, "Ramphis", em "Ainda" de Verdi e muitos outros como contratado do Teatro Estadual de Dortmund. Tom Mehnert canta freqüentemente como solista com Hellmut Rilling em "Gachinger Kantorei", "Festival de Ópera de Salzburgo", "Ópera de Amsterdã" e com a "Orquestra Filarmônica de Londres" na "Royal Festival Hall", em Londres, regido peio Christoph von Dohnányi. Ele cantou pela primeira vez aqui no Brasil na produção da ópera "ó Rapto do Serralho" de Mozart, com o personagem "Osmin". Em 2001, interpretou "Kaspar" e o "Eremita" em "O Franco Atirador" de Weber em nossa produção em Salvador. Desde 2002, Tom Mehnert é contratado pelo Teatro Estadual de Wiesbaden. Em 2002, ele cantou no "Lincoln-Center Festival", em Nova Yorque, e no "Festival de Outono" em Paris.

Emanoel Velozo, Segundo Sacerdote (tenor)
Mineiro, nascido em Juiz de Fora, iniciou seus estudos de música muito jovem, já com nove anos cantava em um Coro Infantil da Profa. Anizabel Rodrigues, a qual ministrava-lhe aulas de técnica vocal e teoria musical. Em seguida, ingressou no Conservatório de Música de São João Del-Rei, onde prosseguiu seus estudos de canto até se formar. Freqüentou cursos de canto com os professores Vânia Soares, Ivonete Muller, Maria Helena Betsi, Marconi Araújo (canto e regência coral), Elenis Guimarães, Carlos Alberto Pinto Fonseca, Martin Krasnenko e Marta Herr. Em 1998, a convite de Pé. Hans Bònisch, mudou-se para Salvador, e trabalhou como assessor musical no Coro Barroco na Bahia, no qual cantou diversos concertos. Em 2002, o convite se repetiu para cantar como solista no "Réquiem" de Mozart. No mesmo ano, concluiu seus estudos de Bacharelado em Canto, no Conservatório Brasileiro de Música, Rio de Janeiro, na classe dos Professores Patrícia Peres e Ricardo Tutman. Emanoel foi aprovado, em 2003, no concurso para ingressar no Coro da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo - OSESP. Freqüentemente, tem se apresentado em recitais e diversos concertos, incluindo o concerto dedicado à música de Nietzche, na PUC de Belo Horizonte, na UFJF, em Juiz de Fora, e na UFSJ, em São João Del-Rei. Atualmente, ele é professor do Conservatório Estadual de Música Pe. José Maria Xavier, em São João Del-Rei.

Maestro UlrichVogel.diretor musical
Nasceu em Annaberg, Saxônia e recebeu a primeira formação musical em piano no Conservatório de Zwickau. Formou-se em piano, composição e regência na Escola Superior de Música "Felix Mendelssohn Bartholdy" em Leipzig. O jovem músico ganhou vários prêmios em regência e música de câmera. Entre 1988 e 1994 ele trabalhou como "Kapellmeister" na ópera de Leipzig. Desde 1994 trabalha como professor na Escola Superior de Música em Leipzig. Ele está atuando como regente com várias orquestras como o "Gewandhausorchester" em Leipzig, "Staatskapelle" Weimar, "Rundfunkorchester" Leipzig e "Rundfunkorchester" Berlin. Além disso, está regendo várias orquestras na Europa e no exterior, como nos Estados Unidos, Israel e agora também Brasil. Nos anos anteriores, foi também o diretor musical das nossas produções das óperas "O Rapto do Serralho" de Mozart (2000), "O Franco Atirador" de Carl Maria von Weber (2001) e "Parsifal" de Richard Wagner (2002). Em 2003, ele foi nomeado Professor Titular da Escola Superior de Música Franz Lisztem Weimar.

Henning Manthe (cenário)
Nasceu em Zweibrücken/Alemanha. Apesar da forte inclinação para a pintura e intensiva promoção por parte de professores de arte, H. Manthe foi inicialmente Oficial da Marinha, passando mais tarde a estudar e se formar em Ciências Econômicas. A sua carreira em uma empresa multinacional transferiu-o para a Espanha, Colômbia e Brasil onde viveu de 1991 até 2000. Após sua aposentadoria, regressou para Alemanha, onde se dedica à arte. Independente de suas atividades profissionais, ele a partir de 1978 teve suas pinturas expostas em renomadas galerias nas cidades de Barcelona/Espanha, Bogotá/Colômbia, Wiesbaden/Alemanha e Bruxelas/Bélgica, que encontraram o seu lugar em diversas coleções particulares. Em Bogotá, produziu também cenários para algumas peças teatrais no Teatro Cólon e no Teatro Nacional. A cenografia para a "Flauta Mágica" foi o seu primeiro trabalho para uma ópera.

 

Início
Voltar
Resumo
Ficha Técnica
Biografias
Fotos

Barroco na Bahia
Rua Jogo do Carneiro, 34 - Saúde
Telefone: +55 71 3241-6031 Fax: +55 71 3241-6805
E-mail: barroco@barroconabahia.com.br

Desenvolvido por: Valter de Carvalho