Órgão

Página em construção

Os primeiros recursos para a aquisição do órgão foram organizados através do grupo “Barock in Bahia e.V.” na Alemanha sobre os cuidados de Hans Bönisch entre 1990 e 1992. A primeira doação foi em 1991, do então Cardeal Ratzinger, Roma (atual Papa). O órgão da Catedral foi construído em 1992 na Alemanha e chegou em Salvador em dezembro do mesmo ano. A solene inauguração do novo órgão da Catedral aconteceu no dia 19 de janeiro de 1993. O instrumento possuía primeiramente 6 registros, e 410 tubos, com um teclado e uma pedaleira. Em abril de 1996 o instrumento foi danificado por causa de uma tempestade tropical e prejudicou o telhado da Catedral, provisoriamente coberto por causa de um restauro do telhado. Graças ao apoio do Governo da Bahia foi possível a restauração total do instrumento na Alemanha que teve uma re-inauguração em outubro de 1996.

Entre 1997 e 2007 foram realizadas 7 ampliações do órgão que possui agora 25 registros e mais de 1.500 tubos com 2 teclados e pedaleira. Ele hoje possui um som digno e majestoso para inundar a igreja mãe do Brasil, a Catedral Basílica de Salvador, Sé primacial do Brasil.

O órgão da Catedral toca frequentemente nas missas solenes, executadas com Coro Barroco na Bahia, e durante os concertos dominicais realizados às 11 horas, sob a direção do organista titular e Mestre de Capela da Catedral, Hans Bönisch. Além dos concertos dominicais, o Barroco na Bahia oferece concertos para grupos turísticos. Maiores informações através do telefone 71 3241-6031 ou do e-mail barroco@barroconabahia.com.br.


Disposição do órgão

I Manual:
Prinzipal 16′
Prinzipal 8′
Praestant 8’
Metall Gedackt 8′
Voix Celestis 8′
Praestant 4′
Feldflöte 2′
Mixtur 3 fach
Trompete 8′
II – I

II Manual:
Bourdon 8′
Flûte Harmonique 8′
Gamba 8′
Octave 4′
Rohrflöte 4′
Salicet 4’
Octave 2′
Larigot 1 1/3′
Sesquialter 2 fach
Oboe 8′

Pedal:
Unterstatz 32′, Subbass 16′, Soubasse 16′, Oktavbass 8′, Posaune 16′, Trompete 8′, II/P e I/P.